segunda-feira, 9 de abril de 2012

Família

A relação com a família do meu pai, sempre foi complicada. Dos seis filhos que a minha avó teve, quatro é que eram realmente filhos. Os outros dois, onde está incluido o meu pai, sempre foram postos de parte. 

E esse tratamento, acabou consequentemente por ser passado para alguns netos. Desde muito pequena que sempre fui tratada de uma maneira diferente. A começar por a minha avó incentivar a minha mãe, quando engravidou de mim, a "desfazer-se" da criança porque as obras na casa dos meus pais ainda não estava pronta! Felizmente a minha mãe não lhe deu ouvidos e aqui estou eu! E depois de tanta discusão e mal entendidos, os meus pais acabaram por se afastar de alguns elementos da família. O que significou muitos natais passados a três, mas não quer dizer com isto que o amor e o carinho me faltassem, antes pelo contrário!

A situação só mudou, quando a minha avó faleceu. Os irmãos perceberam que muitas das zangas eram mesmo resultado de mal entendidos e alguma influência da minha avó. E neste momento, colocaram uma pedra no assunto e voltaram a juntar-se e a tentar recuperar o tempo perdido.

Mas a verdade é que, para mim está a ser dificil aproximar-me daquela gente. Sinceramente não a sinto minha familia... esta vontade de se darem todos bem, já vem com 20 anos de atraso. Olho para aquela gente e não me dizem nada e nem tenho vontade de os conhecer! A minha mãe, depois de admitir que fui a neta que mais sofreu com estas maldades, dizia-me que tenho que perdoar e esquecer. Mas por agora não consigo... não consigo passar uma borracha por tudo o que passei. Acho até que parte da minha insegurança vem dessa altura...

No sábado, dei por mim a inventar uma desculpa para não ir a um jantar com "aquela" gente. A verdade é que não me apetece fazer fretes, nem tenho feitio para os fazer! Estou cada vez mais cansada de falsidades e só me apetece que me deixem no meu canto. Embora tenha noção que, ao aparecer nestes eventos, faria o meu pai feliz...

20 comentários:

Afrodite disse...

A familia da parte da minha mae tambem nao é nada unida. Na verdade, os meus tios ja nao falam com a minha mae ha anos, desde que o meu avô morreu. É muito triste, mas ás vezes as pessoas simplesmente não se dão, e não vale a pena forçar esse tipo de relações.

Beijinhos

Lígia Gomes disse...

Pois a família do lado do meu pai também é assim. O meu pai é o filho mais velho da minha avó e logo quando nasceu foi viver para casa da avó dele, ou seja, a minha bisavó! Nunca tiveram grandes relações e quando o meu pai e a minha mãe casaram elas (a minha avó e as minhas tias do lado do meu pai) não aceitaram e agora eu também não me sinto bem ao lado deles, talvez porque uma tia minha quase andou à porrada com a minha mãe... felizmente isso passou mas nem eu nem a minha mãe a gramamos muito. :) São esquisitos os meus tios! Então ontem veio o afilhado do meu pai cá a casa para receber o folar. E a minha mãe não se sentia à vontade na sua própria casa. E veio também os meus tios. :) Mas é assim a vida, talvez porque a minha família também já passou muitos natais a três (sou filha unica) eu nunca consegui vê-los como tios, eram distantes demais para isso...

Rainha das Estrelas disse...

sei bem o que sentes porque também tenho uma situação semelhante na minha família. é normal que estejas com o pé atrás e se não te sentes bem não forces! Mas também te digo que o tempo é o melhor conselheiro... vais ver que vais começar a sentir-te melhor e pelos teus pais, vais fazer um esforço e quem sabe não te identificas e constróis uma relação boa com eles? confiança :)
Um beijinho*

Di* disse...

Só o tempo e a convivência te vai fazer ganhar laços com "aquela" gente ;)

rosa_chiclet disse...

Bem que situação tão complicada, acredito que deve ser super difícil..
mas saber perdoar às vezes é muito bom.. tenta com calma pode ser que tenhas uma boa surpresa..

kisses***

Ecos da Alma disse...

História de família... quem não as tem!!

Se tivesse que opinar... diria que deverias seguir sempre o teu coração.. antes de mais sempre de bem com a tua consciência :)

Cora disse...

Os laços consanguineos não querem dizer muita coisa não, não vê pelos amigos que fazemos? Temos muito mais consideração que pelos entes de sangue.

Segue sua vida, sem se preocupar muito com isto, saiba que o resgate tanto da sua parte, quanto das deles virá.

Boa semana!

Nokas disse...

As relações familiares nunca são fáceis...espero que melhorem!

Green disse...

Entendo-te tão bem, a diferença é que na família do meu pai são só 3 irmãos e ele é o único excluído, há, e a minha avó ainda não morreu. Eu detesto ir lá a casa dela e ontem foi assim o almoço, mas como sei que se não for o meu pai fica triste, vou fazer o frete.

Palavra Já Perdida disse...

sim faria, mas e tu? também és importante...
mas é por causa de coisas assim parecidas que para mim a família dos meus pais, não me diz nada...bastamos nós :)

Cat disse...

A minha avó paterna é igual. Só tem alguns filhos no total dos 6. E eu também fui a neta colocada de parte. Agora que ela é sozinha e já nenhum filho lhe fala por toda a maldade que ela fez inclusive escolher uma nora que a rouba em vez dos filhos... familia não se escolhe e ja lhe disse isso na cara quando me pediu para a aceitar e ainda lhe disse tambem "quem lhe roeu a carne, que lhe roa os ossos pois a mim vocês não é nada". O meu pai não fica feliz com a minha atitude. Mas eu não consigo...por isso compreendo a tua dor e não te condeno.

transparência das asas disse...

parece que essas histórias acontecem em todas as famílias. MAS quanto à tua história... dá tempo, para tu perdoares tens de sentir que aquela "gente" o merece e, isso são eles que têm de te o provar para que tu coloques todos os problemas de lado.
beijinho honey :)

Tsuri disse...

Compreendo a tua posição perfeitamente. No teu lugar também me custaria estar de um momento para o outro a "amar" uma família que não sentia como minha. Ainda assim, de forma gradual talvez consigas resolver essas coisas e perdoar. O perdão traz-nos paz, muita paz.
beijinho grande

Ervilha Coscuvilha disse...

Sei bem o que sentes, e encontro-me, com mais ou menos pormenores, na mesma situação que tu. Tenho andado também com desculpas para não aparecer, ou se apareço estou ali à espera que o tempo passe.. Mas o tempo é de facto um elemento importante para tu te compores e perceberes qual a posição que deves ter em relação a isso.. beijinho *

Karina sem acento disse...

Querida, como te compreendo! No geral, não me posso queixar da minha família. Mas há sempre uma ovelha negra em todas as famílias e na minha, a minha ovelha negra deveria ser das pessoas mais importantes para mim. Eu ando há quase 2 anos profundamente magoada com essa pessoa pelo que me fez - e pelo que disse e tem dito. E sei que daqui a poucas semanas vou ter de estar com ela - só de pensar nisso fico atordoada... Eu também ainda não consegui perdoar, mas espero que um dia venha a conseguir...

Devaneios.de.mestra disse...

Compreendo-te perfeitamente, até porque vivo uma situação muito parecida. Eu acho que a nossa família são os nossos amigos, porque esses sim, nós escolhemos para nos fazerem companhia na vida :)

Gypsy disse...

Acho que o mais indicado é fazeres o que o teu coração mandar..
Mas também não perdias em arriscar.. Quem sabe não te identificas com alguém...
No entanto se e sentes mesmo mal, não vale mesmo a pena fazeres fretes.

Ritinha disse...

Percebo aquilo que sentes. Mas tenta dar-lhes uma oportunidade. Pode trazer-te coisas boas :D

Alix disse...

Faz o que o coração te mandar.

(A vida é complicada, às vezes!)

Farruskinha disse...

Complicado, mas se é para fazeres fretes é melhor realmente não ires e assim sentes-te bem :)