quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Note to self: Stop expecting


Um dia de cada vez... Depois do dia de ontem é assim. Tenho que aprender a não dar tanto, porque infelizmente, mais tarde ou mais cedo acabamos por levar um pontapé. Não quero dizer com isto que vou deixar de dar de mim aos outros (até porque tenho a noção que ainda estou magoada com o que ouvi, e estou a pensar a "quente"), mas vou ser mais comedida nas atitudes porque estou cansada de sair magoada... Estarei a ser injusta quando penso que devia receber na mesma proporção que dou?  

10 comentários:

Olhó Mau Feitio disse...

nao me parece que estejas a ser injusta

eutambemtenhoumblog disse...

Nada injusto... Acho que deveria ser proporcional mesmo....

Dámos muito recebemos muito, damos pouco, recebemos pouco..

Mary disse...

Injusta não. Mas às vezes não estamos preparados para ouvir muitas coisas principalmente das pessoas de quem gostamos mais, e acaba por doer muito. Espero que conseguias "esfriar" a cabeça. Beijinho

Lua disse...

Nem imaginas o quanto me identifico com este post. Tantas e tantas vezes que fiz exactamente a mesma pergunta! E depois de muitas bofetadas, de muitas desilusões com pessoas que julgava serem uma coisa e afinal mostraram outra, aprendi que se dou, devo, pelo menos, receber de igual forma. Não peço muito, não peço receber mais do que dou, apenas peço que tenham a mesma consideração e respeito por mim. Se confio, quero que confiem em mim também. Nem mais, nem menos. A história do dar sem esperar receber é muito bonita mas na prática não se aplica. E digo isto porque, bem lá fundo, quando fazemos alguma coisa esperamos uma retribuição. Não imediata, mas quando precisarmos dela. Falando por mim, gosto imenso de ajudar os meus amigos e não só. E faço-o gratuitamente, mas sabendo que se um dia precisar de um ombro amigo, posso recorrer a eles, como eles recorram a mim. Arrisco a dizer que tudo isto que digo é um ciclo: dar para receber; receber para dar. É o mesmo que dizer: ser uns para os outros. E não fará bem mais sentido assim?
Tudo isto para dizer que estás no teu pleno direito de exigir receber na mesma proporção que dás. Assim como é mais justo dares na proporção que recebes. Depois de tudo o que passei, acredita, esta passou a ser a minha atitude. No fundo passa por dar valor a quem realmente o merece e o demonstrou ter. Os outros, têm de mim aquilo que me dão. Se é muito radical? Talvez. Mas assim deixei de me magoar e desiludir tanto...

Fico-me por aqui, que este comentário já vai muitooooo longo. ;)

Beijinho especial :)

**

Lua disse...

Pequena correção: onde se lê "como eles recorram a mim" deve ler-se: "como eles recorreram a mim". :)

Sorry ;)

saboracasa disse...

Tenho passado por aqui sempre que posso. Mas devido ao tempo nem sempre é possivel deixar comentários. Vejo que estás triste! E como dizes estas de cabeça quente. Entendo-te perfeitamente mas com o tempo vamos aprendendo a não ligar ao que nos é dito... Acabamos por fazer conforme o nosso intímo nos manda se do outro lado não aceita ou não percebe problema deles! eles é que ficam a perder. O que quero dizer é que não devemos valorizar palavras ou ações ignorantes...
Segue em frente e ignora palavras ou ações que magoem. Sei que é simples de dizer, mas na verdade com o tempo vamos craindo defesas e sabemos fazer isso.

O melhor é rir da situação
beijocas

Cat disse...

As pessoas são uma desilusão pegada. Já me convenci disso. Nunca vale a pena esperar muito.

Maaaas, espero que esteja por aí alguém (oh please please please) que me faça mudar de ideias :)

C.Spot disse...

Não, não estás a ser injusta, mas infelizmente nem tudo é assim tão linear! :)

Green disse...

Não estás a ser injusta, estão a ser exactamente o oposto. Tens toda a razão.

Au chocolat disse...

Com grande frequência sofro do mesmo mal. Mas penso assim: quem perde são os outros, pois para quem faz por merecer, sou uma grande amiga!!!